Imposto de Renda: Antecipar a restituição é uma boa opção?

Em meio a tantas medidas sendo desenhadas para auxiliar a população durante a crise econômica devido ao coronavírus, a antecipação da restituição do Imposto de Renda é mais uma opção para quem está sem renda.

A antecipação pode ser feita em qualquer banco que oferece uma linha de crédito garantida por esse dinheiro. Mas tem um preço a ser pago para quem optar pela ideia para conseguir uma verba extra. A medida se enquadra em um tipo de empréstimo e, por isso, você pagará juros ao banco quando a Receita Federal fizer o acerto do valor no tempo devido.

Especialistas do setor financeiro orientam que o tipo de crédito vale a pena apenas para quem está com muitas contas em atraso ou com dificuldade para suprir as necessidades básicas, pois há um risco ao assumir essa operação.

Restituição do IR antecipada
De acordo com Reinaldo Domingos, presidente da plataforma de consultores financeiros Dsop, um bom exemplo de quando pedir a restituição do IR antecipada é se houver dívidas no cartão de crédito. Isso porque, no Brasil, a taxa mensal média cobrada é de 6,8% ao mês, o que pode ser um grande problema a cada se acumulado.

De acordo com um levantamento feito pela plataforma ComparaOline, as taxas cobradas pelos bancos para os casos de antecipação da restituição variam de 1,79% a 3,69% ao mês. Os custos vão variar de acordo com o valor a ser antecipado, a relação do cliente com o banco e o histórico financeiro que ele possui.

Para solicitar o recebimento do valor, é preciso apresentar o recibo da declaração do Imposto de Renda ao banco para comprovar o valor a ser recebido. Além disso, para antecipação é preciso que o cliente tenha indicado a instituição financeira como local de depósito da restituição, o que costuma ser feito no momento da declaração.

O valor liberado pode variar de 75% a 100% do valor total que está previsto para receber da Receita Federal, e o dinheiro cai na conta no dia seguinte do fechamento do negócio.

O prazo do empréstimo pode ser até a data após o pagamento do último lote da restituição, que seria 20 de setembro neste ano. Mas, devido ao cenário econômico atual, as instituições financeiras estão com condições especiais na extensão do prazo.

Fonte: APET

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *