Google é processado por práticas anticompetitivas em publicidade nas pesquisas

O Genius Media Group juntou-se à longa lista de entidades que estão processando o Google por violações da legislação antitruste. O anúncio foi feito na noite de quarta-feira (16) e está relacionado às práticas de venda de anúncios da gigante de buscas.

No processo, o Genius Media Group — dono dos sites de letras de música e anotações Genius e RapGenius — alega que o Google conseguiu alcançar um quase monopólio com seu mercado de publicidade “erguendo uma ponte com pedágio entre sites e anunciantes e cobrando um alto preço pela passagem”.

“Especificamente, o Ad Server do Google — o software ou código que os publishers usam para tomar decisões críticas sobre o conteúdo de publicidade — impõe regras anticompetitivas e uma conduta que distorcem artificialmente os canais pelos quais os sites vendem seu inventário de veiculação de anúncios”, diz o processo.

Apresentado como uma ação coletiva, o caso provavelmente atrairá outras empresas que questionam a forma como o servidor de anúncios funciona — uma má notícia para o Google, já que a lista é bastante longa.

Empresas com resultados de pesquisa especializados, incluindo Amazon, Tripadvisor e Yelp, há muito afirmam que o algoritmo do Google é feito sob medida para priorizar seus próprios produtos na pesquisa, o que significa que os concorrentes devem aceitar tráfego menor ou desembolsar muito dinheiro para conseguir competir com o Google nos resultados de pesquisa.

O caso é apenas o mais recente problema antitruste do Google. No início da quarta-feira (16), uma coalizão de estados liderada pelo procurador-geral do Texas Ken Paxton anunciou um processo antitruste visando a conduta do Google no mercado de tecnologia de publicidade, alegando que a empresa abusou “repetidamente” de seu poder de monopólio para controlar a forma como os anúncios online são cobrados e “engajados em conspirações do mercado para fraudar leilões”.

Esse caso é diferente de um outro processo antitruste movido contra o Google em outubro pelo Departamento de Justiça e 11 procuradores-gerais republicanos, no qual a empresa é acusada de firmar contratos de exclusividade com fabricantes de smartphones Android para que os dispositivos venham com o mecanismo de pesquisa do Google pré-carregados por padrão.

E a festa está apenas começando: como foi relatado recentemente, uma segunda coalizão de estados liderada pelo procurador-geral democrata do Colorado, Phil Weiser, aparentemente está preparando um processo antitruste contra o Google que alegará que a empresa mudou sua infraestrutura de pesquisa, prejudicando certos rivais que oferecem resultados de busca especializados. Segundo o site Politico, a denúncia pode ser apresentada já nesta quinta-feira (17).

Fonte: Direito News