Ford foi alvo de 4,9 mil processos trabalhistas no Brasil entre 2014 e 2021

A montadora norte-americana Ford, que anunciou nesta semana que encerrará a produção de veículos no Brasil, foi alvo de 4.930 processos trabalhistas entre 2014 e 2021. O valor total das causas é de R$ 897,88 milhões. Os dados foram levantados a pedido da ConJur pela Data Lawyer Insights, empresa de jurimetria e inteligência artificial.

O número inclui ações ativas, arquivadas e suspensas. Quando considerados apenas os processos ativos, são 3.534 ações na Justiça do Trabalho, com causas no valor total de R$ 694,86 milhões.

Dentro do mesmo período, levando em conta apenas as decisões de primeiro grau, o total das condenações contra a Ford somam R$ 177,5 milhões, enquanto os acordos somam R$ 15,4 milhões. O valor médio por condenação é de R$ 67 mil.

Do total de processos, 43,98% foram julgados parcialmente procedentes; 3,04% procedentes; 15,76% improcedentes; em 7,75% se chegou a um acordo; e 21,24% ainda estão pendentes de julgamento. Nos desfechos não foram consideradas as ausências de pressupostos, desistências e extinções da execução.

A maioria das ações foi movida em São Paulo e na Bahia, estados onde se localizam as maiores fábricas da Ford — em Taubaté e Camaçari, respectivamente. A unidade de São Bernardo (SP) foi fechada em 2019. E a empresa ainda produzia os jipes Troller, em Horizonte (CE).

A pesquisa da Data Lawyer foi feita com base em publicações da Justiça do Trabalho, do mesmo modo em que é feito o levantamento do Termômetro Covid-19, parceria entre a startup, o Fintedlab e a ConJur para monitorar as ações ajuizadas por causa da epidemia do novo coronavírus.

Fonte: ConJur